sábado, 29 de dezembro de 2007

ALESSANDRO SANTANA, CABELO


Seu nome é Alessandro Santana, mas muitos o conhecem como Cabelo. Esse apelido já o persegue há vinte anos. Cabelo nasceu em Aracaju em 1977.
Alessandro sempre teve contato com a música. Seu avô tocava violão, seu pai toca piano. “Quando era guri, minha casa era repleta de discos, de Waldick Soriano à Black Sabbath e Made in Brazil, e eu tenho certeza absoluta que escutei todos eles durante a minha infância”.
O tipo de música produzido por Alessandro é um tipo desenvolvido a partir dos anos 50 com a fusão de música concreta com música eletrônica. Segundo nosso artista, é “música Eletroacústica”. Ou seja, uma música feita de sons. Musicalmente suas influências são Pierre Schaeffer, John Cage e o recém falecido Stockhausen. Segundo Cabelo, “sem eles, a música que eu faço não existiria”.
Cabelo não trabalha com letras. Na sua concepção, as letras acabam tirando a atenção no que diz respeito às melodias e aos arranjos. “Creio que uma combinação de sons seja bem mais expressiva que qualquer palavra (...)parei de escrever letras no século passado”.
Seu processo criativo ocorre em diversas circunstâncias. “Eu vejo música em todo lugar, inclusive no silêncio”.
Quanto aos projetos musicais de Cabelo, ele teve um projeto experimental chamado Clister entre 2001 e 2004 onde tocava guitarra, teclado. A “Clister” era composta por Cabelo e Bruno Pinheiro da antiga “Maria Suco de Uva”. Antes da “Clister”, Cabelo teve uma banda de rock chamada “ Hair Without Head” que durou de 1998 a 2001. Nessa banda tocava Ivo Barreto (ex baterista da “Anal Putrefaction”). Atualmente, paralelo ao seu projeto “Música das Cinzas”, Cabelo toca guitarra numa banda grindcore/noise chamada “Olho por Olho”. Essa banda é composta também por Marcelo prata, Cícero Mago e Pedro Pascoini. A banda “está com um 4 way split em LP com mais 3 bandas/projetos daqui de Sergipe”. Sem contar que a banda vai lançar um split EP 7 em vinil com a banda “Putrefação Humana”. Quanto ao projeto “Música das Cinzas” a proposta é utilizar trechos de filmes, efeitos sonoros, LP´s, fitas K7, TV, rádio AM, geladeira, ventilador, etc, etc, além de induzir imagens através dos sons, utilizando elementos pré-gravados de trechos de música erudita (clássica, romântica e moderna) associada a ruídos (os mais diversos) e instrumentos (guitarras e teclados). Cabelo também está com um trabalho em CDR que conta com 15 músicas mais uma faixa interativa com o vídeo “ Abominável busca pelo prazer” e que vai sair em Janeiro de 2008.
Em se tratando da condição artística no cenário local, Cabelo acredita que a cena até que tem crescido. Tem-se observado um número maior de trabalhos, mas a cidade ainda carrega um movimento vagaroso. De acordo com ele, “a cidade está cheia de jovens, porém, Aracaju é sempre a mesma. A maldição do cacique prevalece (“nessa terra nada há de vingar!”). Melhora por um lado, piora por outro. A estrutura política e cultural da cidade dificulta os artistas a obterem grandes conquistas no cenário da música enquanto profissionais. “Nessa cidade, amigo? Sem conquistas, sem show, sem festival. O sergipano precisa aprender a OUVIR. A partir daí, alguma coisa pode acontecer. Ou nada”.

Quem tiver interesse em se conectar com Cabelo, é só ligar para o celular 9927-9613, por email: chatus_imensus@hotmail.com; e por Orkut em http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=7421309081879758294.
Para encontrar o trabalho de Cabelo, é só acessar a Internet. Lá o leitor vai poder baixar o trabalho gratuitamente. No 4shared http://musica-das-cinzas.4shared.com/; na Trama Virtual http://www.tramavirtual.com.br/artista.jsp?id=16455.

Nenhum comentário: