sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

RUBENS LISBOA


Rubens Lisboa nasceu em Aracaju-Sergipe e sempre se identificou com artes em geral. Atualmente esse artista possui mais de quinhentas composições. Rubens começou escrevendo poesias e pequenos textos para teatro. Tinha certeza de que a música seria a mola propulsora da sua vida após assistir a um show da cantora Marlene pelo Projeto Pixinguinha, no final da década de setenta no Teatro Atheneu. Em 1986, pisou pela primeira vez num palco como intérprete. Isso aconteceu no show "Dez-colagem", uma iniciativa inédita de vários artistas sergipanos que, à época, começavam as suas carreiras e formaram a famosa "Que banda é essa...?" A partir daí, participou também de diversos eventos como artista convidado, já cantando suas próprias composições, além de interpretar canções de outros autores. Foi o caso, por exemplo, do show de encerramento do 1º Festival de Música Ecológica, realizado pela Universidade Federal de Sergipe e também do que ocorreu na 2ª Semana Interna de Arte da Petrobrás.Rubens Lisboa cantou durante algum tempo na noite sergipana, destacando-se nas casas de shows "Cantuá" e "Kopo Gelado", sendo o fundador e vocalista da Banda "Água Furtada" durante a primeira metade da década de 90. A banda era composta por Rubens Lisboa no vocal,André Horta no baixo, Lula Benedi na guitarra e Marcelo Farjala na bateria. Com a "Água Furtada", Rubens fez o show de encerramento do "Fest-livre", um Festival de Música Popular por ele organizado durante três anos consecutivos e realizado no Teatro Atheneu Sergipense. Nos anos de 1990 a 1992, participou do Projeto "Seis e Meia", quando, além de cantar com artistas sergipanos, chegou a dividir o palco com o mineiro Lô Borges. Participou, ainda, do FEMUFS (Festival de Música Universitária), conseguindo o Prêmio de Destaque naquele evento.
Rubens Lisboa obteve ainda outras grandes conquistas como o show de lançamento do seu CD “Todas as tribos” lançado recentemente com Diogo Montalvão no teclado, Marcus Vinicius na guitarra e violão(ver biografia de Marcus Vinicius no blog), Robson Souza no baixo, Ricardo Bolinha na bateria, Júlio Rêgo na gaita, Pedrinho Mendonça na percussão e as irmãs Adriana e Nurimar assumindo os backing vocals. Essa formação já o acompanha desde os dois primeiros cd´s que foram o “Assim, Meio de Lua” e “Segundas Intenções”. Além dos cd´s, participou de inúmeros festivais dentro e fora do Estado, como o Festival de Verão realizado em Aracaju na Praia dos Artistas onde obteve o 1º lugar com a canção "Aluaran" através da interpretação de Amélia Daura; marcou presença também nas quatro edições do "Canta Nordeste". Sem contar os Festivais de Música realizados em cidades como Salvador (BA), Crato (CE), Teresina (PI), São Paulo (SP) e o FEMUCIC em Maringá(PR). Além dessas participações, teve vários shows, como algumas edições do Projeto Prata da Casa realizado em Aracaju. Rubens Lisboa fez uma míni-turnê no Rio de Janeiro e participou do CD “Ecos do São Francisco”, produzido em Salvador por Roberto Santana. Rubens Lisboa já teve inúmeras composições gravadas por outros artistas como Amorosa, Cris Emmel, Virgínia Fontes, Joésia Ramos, Chiko Queiroga, Marta Mari, Patrícia Polayne, Pantera e a internacional Ithamara Koorax.
Com relação às suas influências musicais, Rubens Lisboa tem como prediletos “Chico Buarque”, “Elis Regina”, “Maria Bethânia”, “Caetano Veloso”, “Elza Soares”, “Cazuza”, “Zizi Possi”, “Simone”, “Ithamara Koorax” e “Leila Pinheiro”, "Amorosa", "Virgínia Fontes", "Tânia Sevla", "Gena Ribeiro", "Patrícia Polayne", "Chico Queiroga",e "Antônio Carlos du Aracaju",mas nosso artista não está preocupado em se fixar num modelo estético. “Estilo é uma palavra que não existe no meu dicionário. Sou vários. Compartimentos estanques ficam melhor em supermercados”. O processo de criação das suas composições se dá de forma espontânea. “Quando a inspiração bate, não há lugar nem hora. É um momento mágico e urge registrá-lo a qualquer custo sob pena de perdê-lo para sempre”. No que diz respeito aos temas abordados em suas letras, Rubens costuma falar da vida e de experiências pessoais, mas em geral, não existem temas definidos. “Algumas letras são mais diretas, outras mais subjetivas. Algumas contam uma história, outras expressam sensações. Deixo todos os canais abertos”. De acordo com Rubens Lisboa a condição do artista no cenário local tem melhorado, mas ainda há muito espaço pra se conquistar.

O trabalho de Rubens Lisboa está à venda na CD Clube Locadora, localizada na Avenida Augusto Maynard, e na Casa do Artista, situada no Calçadão da Rua Laranjeiras.
Quem quiser entrar em contato com nosso artista é pelo e-mail rubens@infonet.com.br

Um comentário:

....... disse...

Olá amigo temos um programa intitulado CANTA SERGIPE todas as sextas das 08:30 as 10:00 na mar azul fm em Estância-SE, se possivel manda material seu para tocarmos aqui... meu e-mail rvdados@hotmail.com