domingo, 18 de maio de 2008

RAQUEL LEITE


Raquel Leite, filha de Agripino Rodrigues Goveia e Maria Rodrigues Gouveia, nasceu na cidade de Porto da folha-Se na antiga rua dos negros. Aos 2 anos e meio mudou-se para a cidade de Aracaju com seus pais e 7 irmãos onde posteriormente nasceu mais um, completando oito irmãos. Aos cinco anos de idade teve a iniciativa de se inscrever em um programa de calouros que existia no antigo cinema de Porto da Folha sem avisar para ninguém da família, a não ser para a sua prima Robenilva. Muito tímida, não teve a coragem de enfrentar o público e terminou se escondendo atrás de uma pilastra. A partir daí, começou a pedir para sua mãe que a matriculasse no coral mirim da Igreja São Judas Tadeu, na cidade de Aracaju, para cantar juntamente com suas irmãs Maria do Carmo e Maria de Lourdes, com o então regente Ary. Sua mãe prometeu inscrevê-la somente quando ela aprendesse a ler. Devido ao seu desejo de cantar, estudou o suficiente e foi aprovada em 1º lugar da classe na Escola Municipal Rolemberg Leite. Ao ser aprovada, chegou para sua mãe e pediu para que esta a matriculasse no coral. Desse momento em diante começou a cantar no coral como soprano. Dias depois foi convidada pela irmã Cordélia para fazer solo com a cantora Ângela Costa com a qual permaneceu toda sua infância e juventude. Raquel Leite era acompanhada pela banda da Igreja com os músicos: Erivaldo, Hélcio, Luiz e Eliatan, sob a coordenação de frei Eugênio que passou a ser não só um amigo, como também um amigo/pai até os dias de hoje.
Com 10 anos de idade, pediu a sua mãe para inscrevê-la no programa de Luiz Trindade no canal 4. Chegando no programa, Luiz Trindade disse que ela não seria caloura pois já havia escutado sua voz. A partir daquele momento Raquel Leite seria uma convidada especial do programa. Isto não a agradou, pois o seu sonho era ser caloura, sua vontade era competir com outros, e além do mais, precisava também de dinheiro para cobrir a suas despesas. Ainda com seus 10 anos de idade, Raquel Leite já se encontrava contratada pela TV Atalaia após vencer o concurso do programa de Reinaldo Moura obtendo nota 10 de todos os jurados (Barrinhos, Bombinha, Robson Turismo e Hugo Costa). Após o término do programa, foi convidada por Nazaré Carvalho para fazer parte dos cantores da terra no seu programa “Tia Nazaré”, programa de grande audiência. No “Tia Nazaré”, Raquel Leite ficou sendo a madrinha do programa. Além de todos esses programas, fez parte também do programa de Hilton Lopes, como também do programa da “Paradinha do Chicão”.
Aos 11 anos, já cursando a 5ª série, estudou no Colégio Municipal Presidente Vargas onde ganhou uma bolsa da pianista Amélia para estudar música na escola Filarmônica de Sergipe, com o professor e maestro Leozírio Guimarães, além de uma bolsa para estudar inglês no Instituto Canadá. Posteriormente, opta por estudar inglês ao invés da música (piano) por não conciliar os horários de estudo, como também devido à sua condição financeira. Aos 17 anos, de 1981 à 1888 cantou na noite fazendo seresta com o regional “R Som 5”, grupo conduzido pelo músico e seresteiro Celso Rezende (violonista) com o acompanhamento de Zé do cavaquinho, Joãozinho (pandeiro e maracá) e Paulo (atabaque). Mantendo aos sábados um contrato fixo no Hotel Beira mar, além de clubes como Iate Clube, Cotinguiba, associação Atlética de SE e fora do estado.
Nesse tempo de trajetória artística, Raquel Leite conquistou outras séries de vitórias como a do Programa do “Chacrinha” em 14 de agosto de1982, no Rio de Janeiro, vencendo por duas vezes no mesmo dia em 1º lugar. A primeira vitória foi conquistada no próprio programa e a outra no Canecão após convite da equipe de produção do Abelardo Barbosa “Chacrinha”. Além de todas essas conquistas, acreditem: Raquel Leite cantou em mais de 3.000 casamentos e 6.000 missas aproximadamente entre os estados de Sergipe, Bahia e Alagoas! E a nossa querida artista não para por ai: vem apresentando seu trabalho em todas as feiras do Sebrae/SE, fazendo muito sucesso com a sua banda, contando com os componentes: Orlandinho ( guitarra), Júnior ( teclado), Prego (bateria) e César (contra-baixo). No ano de 2007 defendeu no SESCANÇÃO a música “Barvigulina” de Vina Torto (ver a biografia de Vina Torto no blog) e Guga, acompanhada pelo violão de Orlandinho, sendo aplaudida com entusiasmo pelo público que ali se encontrava. Atualmente em seus shows é acompanhada por instrumentos como teclado, violino, trumpet e sax, violão, contrabaixo com os músicos Wolney Mont´santo, Dudu, Carlinhos, Prof Valdir, Tereza Cristina, Maria Olívia, Júnior entre outros. Ao completar 35 anos de música em Sergipe em outubro/2008, Raquel Leite está com o projeto de gravar o seu primeiro CD e busca parceiros como compositores, músicos e empresários que queiram fazer parte deste sonho.
O estilo de Raquel Leite é ligado tanto ao gospel como a uma MPB voltada mais para o romantismo. De acordo com ela, essa tendência para a linha romântica se deve à influência do seu pai e da sua mãe que sempre cantavam muito em casa nas horas vagas. Sua referência musical se encontra em cantores como Antônio Marcos, Clara, Perla e Lílian.
Nossa artista sempre foi convidada para cantar em bandas da cidade, tendo sempre agradecido ao convite, mas tendo sempre preferido estudar para ter garantido mais uma profissão, pois achava que a música, que sempre foi a sua paixão, não lhe daria uma base mais sólida. Raquel pensava que provavelmente não viveria da música por toda vida, como, aliás, não continua vivendo, não tendo ainda o reconhecimento e a valorização na sua cidade. A cantora Raquel Leite preferiu continuar estudando e cantando em missas, casamentos e recepções, acompanhada primeiramente pela pianista Nair Porto, por Paulinho (Padre Paulo), Edson (Dida) Wolney, Prof Valdir e pela Profª Maria Olívia.
O leitor que tiver interesse em entrar em contato com a nossa artista, é só ligar para o número 9981 -7827/ 3255-3471 ou pelo e-mail: raquel.leite@oi.com.br